Colágeno funciona mesmo? Mito ou verdade?

Colágeno funciona mesmo? Mito ou verdade?

Existe uma discussão muito grande em torno do tema COLÁGENO, especialmente entre as áreas de nutrição e dermatologia. Eu adoro esse tema e hoje trouxe para vocês minha opinião sincera sobre a suplementação do colágeno e como eu acredito que ele pode contribuir para a saúde e viço da pele.

Primeiro vamos contextualizar, o que é colágeno?

Colágeno é uma proteína que existe em grande quantidade em nosso organismo e corresponde a quase 80% do peso seco da nossa pele, imagina! Praticamente somos feitos de colágeno e água.

Brincadeiras a parte, essa proteína é super importante na sustentação e firmeza da pele e, com o envelhecimento, é natural que nossa produção de colágeno diminua, criando um déficit de colágeno que na prática é aquela percepção de uma pele mais mole, mais flácida. Por isso, escutamos o termo “poupança de colágeno”, que nada mais é do que essa reposição necessária e estímulo de colágeno, com o objetivo de repor a proteína perdida.

Existem vários tipos de colágeno distribuídos pelo nosso corpo e estudos mostram sua contribuição na construção de novos tecidos e órgãos.
A proteína de colágeno por si só é uma molécula muito grande, ou seja, para que ela consiga ser absorvida pelo nosso organismo, os laboratórios submetem essa macromolécula a uma quebra mecânica, chamada de hidrólise.

Esses pedaços menores de colágeno são chamados de peptídeos de colágeno e é daí que vem o que conhecemos como colágeno hidrolisado, ou seja, o colágeno que foi quebrado pela hidrólise em pedaços menores.

Esses peptídeos já podem ser absorvidos pelo organismo e ainda são transformados em partículas menores (aminoácidos) que são espalhados pelo corpo através da corrente sanguínea, indo para áreas mais necessitadas do corpo.

Esse é o processo que ocorre com todas as proteínas: Ingestão > quebra em partículas menores > são levados para diversas partes do corpo
Mas Dra, como então “entregar” esse colágeno quebrado para o lugar certo, que é na reposição da sustentação da pele?

Essa é uma excelente pergunta e é aqui que entra o porquê os dermatologistas indicam o COLÁGENO VERISOL.

O verisol são os mesmos peptídeos de colágeno, só que bioativos. O que acontece é que nesse caso, a proteína do colágeno (molécula grande) é submetida a 2 processos de quebra:

O primeiro processo é igual ao colágeno hidrolisado comum (quebra em peptídeos) e o segundo processo é uma hidrólise enzimática que é uma segunda quebra desses peptídeos em partículas menores ainda.

Esses peptídeos tornam-se assim bioativos, ou seja, são específicos para atuarem nas células da pele.

Esse processo de “segunda quebra” é patenteado e conhecido como VERISOL, conseguindo “orientar” o corpo a produzir um tipo de colágeno específico. Eles peptídeos bioativos atuam a nível celular estimulando os fibroblastos (células produtoras de colágeno), assim o colágeno verisol ingerido não se instala na célula como muitos pensam, mas sim, ativam a produção de novo colágeno.

Foi visto que os colágenos tipo 1 e 2 quando em forma de peptídeos bioativos, podem conferir benefícios respectivamente para a saúde e estética da pele, e reconstrução das articulações.

Então, na minha opinião médica, sim! Indico o colágeno VERISOL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×